Por que há questões que são melhor respondidas com novas indagações!

terça-feira, 6 de abril de 2010

Chove lá fora...



Não quero chover no molhado (muito molhado) e falar sobre o óbvio, o assunto do dia em todas as emissoras e rodas de conversa. Mas não dá para ter outro assunto assim, principalmente quando o evento em questão muda toda nossa rotina. Marido, que é muito caxias, chegou a sair para o trabalho, mas voltou muito antes do meio do caminho. Graças a Deus, nem sei que espécie de dia eu teria com ele do outro lado da cidade. Filhote em casa e nós, numa espécie de dia de férias, "num dolce far niente, sem culpa nenhuma". Confesso que me sinto dividida, tenho um trabalho difícil para terminar, e pressa em fecha-lo. Mas estar com meus meninos é maravilhoso!

Sei que somos privilegiados e, não sendo uma insensível pensei nas dificuldades por que tantas famílias estão passando. Mas preciso dizer, na minha casa foi um dia especial e feliz, por que tivemos a oportunidade de ficar juntos. Almoçamos e jantamos juntos, conversamos, brincamos com o Bê, vimos filme, comemos pipoca. Senti um prazer em cozinhar que eu tinha esquecido como era! Se foi só hoje ou se teremos que repetir a dose amanhã? Não sei...

É absurdo o que está acontecendo? Ô se é... A culpa é só do governo? Com certeza que não... Todos temos nossa parcela de responsabilidade. Impermeabilizamos demais, desmatamos demais, descartamos demais, produzimos lixo demais... Todos nós! Não podemos mais nos eximir da culpa. A mudança depende de mim, mais do que de você. E esta frase vale para cada um de nós, afinal, só posso responder pelos MEUS atos, pelos de mais ninguém.

E deixo a pergunta: O que eu tenho feito pelo meu planeta? Esta é a tipica pergunta em resposta que justifica o nome do blog...

Beijos a todos. Que seus lares estejam protegidos da chuva e repletos de amor.

8 comentários:

josi stanger disse...

Poi é Tati... chove aí, chove aqui também e sabe, outro dia vi uma foto bem antiga da minha cidade, Curitiba, e por aqui quando a chuva é grande algumas ruas do centro também ficam cheias de água... não tanto quanto o Rio, mas, vendo a foto antiga constatei que os alagamentos por aqui já aconteciam no século passado... uma pena... naquele tempo, o rio que passava transbordava, hoje oque transborda é o esgoto, essa é a única diferença a lamentar... Caso o dia de vcs amanhã também seja um dia de aguardar, aproveite o aconchego do lar, a companhia dos seus amores...
Um beijinho gelado daqui, que tá frio, muito friooo
Josi

cantinho she disse...

Olá, olá, passando para retribuir a visitinha e conhecer o seu blog que já te digo que amei. Vou te seguir pra poder vir mais vezes!
Menina que caos na nossa cidade, né? Enfim todos com gde parcela de reponsabilidade...
Bjoooooo

Fernanda disse...

Olha Tati, esse meu comentário é o típico que eu faria, colocando uma xícara de café quentinho pra nós duas: A vida é "com nóis né". Fiquei maravilhada de verdade com sua sinceridade em dizer que apesar de tudo, hoje foi um bom dia pra você sim!!! Hoje foi um dia especial, porque você resgatou um pouquinho do tempo sem correria. Eu também aqui em casa senti a mesma coisa. E me senti egoísta por me sentir bem. Aqui comemos aipim cozinho com café e foi muito gostoso. Senti sim tudo que foi dito e falado sobre as chuvas e rezo. Sei da responsabilidade que temos. Sabe, não se preocupe amiga, se a vida te deu um dia de felicidade e benção. Não se constranja por isso. O que você sentiu hoje, muitos de nós também sentimos. E tua compaixão ficou visível, porque isso não se fala, se sente. E nos eu post eu percebi isso.
Tenha sempre dias assim de muito carinho, e felicidade em família. É isso que Deus quer.
Um grande beijo, me senti acalentada pelo seu post.
Bjão!!!
ps: gostou do café?! rs...

Fernanda disse...

Você fez o que não consegui fazer. E me senti aliviada por saber que podemos ser felizes. como diz a música: "Um dia feliz, as vezes é muito raro, falar é complicado quero uma canção". também temos uma vida difícil né? poxa...que mal há em tomar um café quente, e agradecer por estar tudo bem com os nossos? Não quero mesmo a hipocrisia, por isso escrevi tão pouco, mas fui sincera. Também não repeti o que todo mundo já disse, mas apenas o que eu pensei.
Eu sinceramente "senti" o nosso papo com café quentinho.
Que Deus abençoe e proteja vc e toda sua familia.
Blog também nos cura um pouco a cada dia.
bj!

efeitoseconceitos disse...

Pois é amiga...Todo temos nossa parcela de culpa.
Eu faço o que posso(e sei que ainda é pouco)
Eduquei minhas filhas com essa idéia de cuidar do planteta e um dos melhores presentes que já dei a uma delas foi o livro "50 Coisas Simples que as Crianças Podem Fazer Para Salvar o Mundo"
Hoje sou uma consumista moderada e consciente, separo o meu lixo e outras coisinhas assim.
Se cada um de nós fizer um pouco já estaremos contribuindo para um mundo melhor
Bjos
Yoyo

marliborges disse...

Querida Tati, adorei seu texto, mas você finaliza lançando uma pergunta. Respondo o seguinte: tenho feito o que posso pelo meu planeta (e vou continuar fazendo), criei meus filhos sob esse prisma, estou orientando meus netos assim, tenho consciência de minhas ações, desconto minhas imperfeições e sofro por isso, mas não sinto culpa por estar feliz, por aproveitar o que de bom a vida me oferece, aliás faço tudo que posso para ser e estar alegre, ah é tão bom, a gente fica tão leve! E de mais a mais, não posso carregar o mundo nas costas, não sou Charles Atlas, hehe.
Pronto, acho que respondi. Beijão amiga.

Meri Pellens disse...

No intuito de nos proteger da natureza acabamos por agredí-la e isso gera consequencias. Fenômenos naturais sempre existiram e exitirão, mas ultimamente estão mais frequentes e intensos...

Que q vc está bem. Bjok.

Nani Veiga disse...

Olá Tati,que linda foto,coincidentemente também temos uma parecida.
Mas falando na escultura do pai segurando o filho eu comprei na Etna,pagamos em torno de 140,00,não lembro bem...Mas quando ele viu,comprou na hora achei até estranho porque ele não gasta com nada..rrsss....Mas valeu!!
Beijos
Nani