Por que há questões que são melhor respondidas com novas indagações!

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Onde está minha inscrição da OAB?


Esta é minha participação na blogagem coletiva proposta pela Glorinha, do Café com bolo. O tema hoje é perdão, e não podia ser mais oportuno para mim. Aproveito a ocasião para um mea culpa

Vocês conhecem esta historinha? Eu já conhecia e já até a li algumas vezes para os assistidos de um trabalho que eu participava. A gente lia e interpretava, claro! 

Que fofo, né? Leia e depois conversamos:



Havia um menino que tinha um temperamento difícil.
Seu pai deu-lhe um saco de pregos e disse-lhe que, a cada vez que perdesse a paciência, pregasse um prego na cerca dos fundos de sua casa. 
No primeiro dia o menino pregou 37 pregos na cerca. 
Então foi diminuindo gradualmente. Ele descobriu que era mais fácil conter seu temperamento do que bater pregos na cerca. 
Finalmente chegou o dia em que o menino não perdeu mais a  paciência.
Ele contou isso ao seu pai, que sugeriu que agora o menino  tirasse um prego da cerca para cada dia que ele conseguisse conter seu temperamento.
Os dias foram passando e o menino pôde, finalmente,  contar a seu pai que não havia mais pregos na cerca.
O pai pegou o filho pela mão, levou-o até a cerca e disse:
-"Você fez bem, meu filho, mas veja os buracos na cerca. A cerca  nunca mais será a mesma. Quando você fala coisas ruins, ofende, elas  deixam uma cicatriz como estas. Você pode enfiar uma faca em um homem e tira-la. Não importa quantas vezes você diga que sente muito, a  ferida continuara lá. Uma ferida verbal é tão ruim quanto uma física".


Pois é. Li e reli tantas vezes... Pensa que eu aprendi? Coisa nenhuma...

Ontem eu magoei uma pessoa. E me sinto péssima por isso. Magoei por que julguei, por que interpretei tão mal uma situação... Criei um bicho, fui contra o bom senso. Se eu prestasse mais atenção ao que esta pessoa demonstra, jamais a colocaria em xeque. 

Eu não tenho a menor dificuldade em pedir desculpas. Este tipo de orgulho besta não me assola. No entanto eu me exponho muitas vezes ao expor as pessoas a isso. Se desse um tempo às questões, se as colocasse em perspectiva, poderia evitar muitos aborrecimentos.  Existe um exercício, que eu conheço, apesar de não ter feito, de pensar no que um fato afetaria sua vida daqui há uma semana, um mês, um ano. Era algo que não afetaria minha vida depois de poucos dias. Em uma semana seria passado, pior do que isso, nem era verdade!

Minha atitude foi mesmo mesquinha e desnecessária. A mesma conversa poderia ter acontecido de outra forma se eu partisse do melhor. Eu optei por partir do pior, do julgamento. Do MAU julgamento. Não à toa para ser juíz é necessário muitos anos de estudo, de dedicação. Ainda assim, há acusação e defesa,  testemunhas, provas, às vezes juri... Tantas e tantas coisas antes de se condenar alguém. Quem sou eu para dizer isso ou aquilo de outra pessoa, seja ela quem for? E se a pessoa em questão sempre foi doce e generosa, não apenas comigo, mas com as pessoas em geral, ao seu redor? É, ontem me senti pequena por que estava mesmo pequena. E hoje vou me perdoar, por que preciso, mas preciso, mais que isso, aprender.

É a primeira vez que erro feio assim? Não, nem a segunda. Eu tenho um instinto impulsivo que me irrita. Achei que estava sob controle, dei bobeira e ele se manifestou. Que vergonha senti de mim mesma quando percebi o quanto estava equivocada. 

Um antigo chefe meu dizia que, quando apontamos um dedo para alguém estamos, de forma simultânea, apontando 3 para nós mesmos, e um para o chão (baixando o nível ou o padrão). Ouvi está frase há muitos anos. Guardei, só não apliquei. Disfarcei de "quero entender" quando na verdade estava julgando. Está lá, por escrito. Eu reli e percebi que me sentiria mal se lesse algo assim. Agora já foi, e me arrependo. Tirei o prego e deixei o furo na madeira. Se tivermos oportunidade, podemos tratá-la, lixar, polir, envernizar... Isso o tempo mostrará. Por enquanto sinto que perdi um amigo, e que a responsabilidade está comigo. Ou eu cresço ou mais situações como estas acontecerão.

Para não terminar tão entregue e derrotista, lembrei de uma frase do Emmanuel, dita por Chico  Xavier em uma situação pior do que esta (quando descobriu que seu sobrinho estava cobrando por lugares na fila para o atendimento): 

"Ninguém pode voltar atrás e fazer um novo começo, mas qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim.

Com erros e acertos, nossa história continua. É isso, hoje não sei como encerrar. Ainda estou triste comigo.

Um beijo a todos,
Tati.

32 comentários:

António Rosa disse...

Tati,

Venho despedir-me desta blogagem colectiva e só não participo porque recentemente (1 Setembro) fiz um

post
no 'Cova do Urso' sobre o tema 'perdão'.

Adorei a sua mensagem, Tati.

Vou sentir saudades destas blogagens coletivas da Glorinha, em que todos nos juntámos.

Abreijos (abraços + beijos)

António

Liza Souza disse...

Tati, é tao comum errar, infelizmente eu sei, mas a verdade é que todos erramos sempre. Mas, é tao lindo se arrepender, voltar atrás e reconhecer os erros. É tao lindo ter a capacidade de vencer o mal através do perdao, lancando as mágoas no mar do esquecimento. Parabéns por ser capaz de se perdoar e por reconhecer suas falhas! Nao sei se o texto que voce citou está certo sobre as cicatrizes, por que na minha opiniao, por mais profundas que sejam, o amor pode curá-las. Sou um exemplo vivo disso.
Um grande beijo e agradeco a Deus por ter encontrado o seu cantinho nessa blogagem!

Meri Pellens disse...

Nossa! Lendo seu post parecia ler a mim mesma!
"Eu não tenho a menor dificuldade em pedir desculpas. Este tipo de orgulho besta não me assola. No entanto eu me exponho muitas vezes ao expor as pessoas a isso."
Como sabe gosto muito de assuntos espirituais, gosto de ler a bíblia, rezar... Porém é mais por que eu sei que preciso para justamente ver se aprendo, se evoluo... Mas continuo escorregando e caindo muito, Tati, pode crer, não sou uma flor. Sigo confiando na Misericórdia Divina, Ele sabe que tenho me esforçado e sabe de você também.
Beijos na alma, querida!

Chica disse...

SABER RECONHECER QUANDO ERRAMOS E PEDIR DESCULPAS É MUITO BOM.TODOS ERRAMOS E VAMOS CONTINUAR...

uM DIA LINDO,TUDO DE BOM,BEIJOS,CHICA

ELA disse...

É difícil, mas não desista de estabelecer o controle.

No fim das contas, muitos de nós (faço também minha mea) cometemos destas todos os dias. Claro, não justifica.

Boa sorte daqui pra frente ;)

Michelle

Nathália (Ná) disse...

Tati, não sei nem o que falar, parecia que estava lendo sobre a Nathália e não sobre a Tati, o pior é que ainda não consigo me conter, primeiro explodo e depois consigo avaliar os fatos de outro angulo, o pior é que a palavra proferida não tem volta e ai o estrago já está feito. Não adianta dizer que vou me controlar e nem o monte de conselhos que recebo, pois quando vejo a besteira já foi feita. Dificil.
Desculpe falar sobre mim, mas é que me vi perfeitamente ai. Tati tente se desculpar, talvez não resolva, mas ameniza esse sentimento ruim.

Bjs!

Lu Souza Brito disse...

Oi Tati,

Eu concordo com a Chica, saber reconhecer que errou e pedir desculpas é importante. Nem todos tem humildade o suficiente para fazer isso.
Eu também sou assim impulsiva e já fiz muito isso. Me arrependo tanto, mas ainda não aprendi.
Boa sorte! E Lembre-se, o tempo cura qualquer ferida.
Beijos

Beta disse...

Nossa, que post lindo!!!
Sabe, estou sentindo falta de meu tempo livre para escrever posts bonitos... Quase tudo agora é automático...rs

bj

Beta disse...

Que post lindo!!
Sabe, estou sentindo falta de meu tempo livro para escrever posts melhores...rs
Correira total!!

bj

Beta disse...

Vc nao feed para assinarmos não???

bj

Misturação - Ana Karla disse...

Tati, é isso aí, todos nós erramos e muitas vezes magoamos alguém, porém devemos nos policiar sempre e pensarmos antes de agir, pois as marcas ficam.

Fechou muito bem com essa frase do Chico Xavier que gosto por demais.

Xeros

Eduardo Medeiros disse...

Creio que o mais importante não é nunca errar, nunca magoar, nunca decepcionar; o mais importante é sempre que se cometer tais coisas, nos arrependemos da má atitude e o mais importante, pedir desculpas para o ofendido. Creio que essa atitude é capaz de curar os "furos da cerca".

abraços

Leci Irene disse...

Menina, que riqueza de texto!!!!!!!!!!!!! Mais um pouco aprendi aqui. - espero eu sempre começar de novo, escrever um novo fim.... hehe... dificil!!!!!!!
Beijos..

Yoyo Pizy disse...

PARABÉNS TATI!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!Depois volto para ler e comentar sobre o perdão,rsrs.
Bjo no core

Nilce disse...

Depois quando eu adoto essas "porquerinhas" e quero trazer todas aqui pra casa pra cuidar, dizem que sou "doida". kkkkkk
Você é espetacular, menina!

Saber que erramos, já é um grande passo, Tati. E você tem essa humildade. Não sofra querida. Se a pessoa que vc magoou for mesmo sua amiga, saberá te perdoar porque te conhece profundamente e sabe dos teus "defeitos", mesmo sem precisar apontá-los.
O mais importante é vc mesma se perdoar.

Também sou muito impulsiva e "meto os pés pelas mãos". Mas, só se for mesmo sem sentir que magoei, que saio. Se sentir, na mesma hora peço desculpas, perdão pela impulsividade.
Magoar de vez em quando, faz parte. O que devemos atentar muito é para não ferir sentimentos.

Bjs no coração!

Nilce

Isadora disse...

Tati, e que não era, não faz um mal julgamento? Todos nós fazemos isso, somos humanos, somos normais e somos falhos.
O grande barato de todas essa trajetória: Vida, é o que você fez. Entendeu que foi precipitada, que julgou algo que sequer era verdade. Admitiu, isso é lindo, minha amiga. Você merece, claro, perdão e se acha que o que fez não é bacana tem a oportunidade de dizer isso aquem possivelmente tenha magoado. E poerá escutar o que o outro tem a dizer. Infelizmente, em muitas situações não podemos escutar o outro!
Um grande beijo

Françoise disse...

AMiga Tati,
O mais bonito está ai, em público, escancarado pra todo mundo ver. Reconheceu o seu erro e buscou em tempo corrigí-lo.
Me vi exatamente em suas palavras, também sou impulsiva, quando vi, já cuspi as coisas, mas acho que sou assim com aqueles que conheço mais de perto. Coitados!!! Deles e de mim não é???
Mas estamos dispostos a melhorar e isto já é um grande passo.


Beijos
Bom final de semana.

Glorinha L de Lion disse...

KKKK...Só rindo Tati! Vc diz que ao ler o que escrevo vc se reconhece e eu, digo o mesmo de vc! Eu me vi no seu texto, pois fiz isso anteontem! Julguei e condenei alguém sem direito a defesa! Como me sinto horrível quando faço isso! E o pior: EU ESTAVA ERRADA! Acusei injustamente. Resultado: só faltei me arrastar no chão pra pedir perdão. E se a pessoa não quiser me perdoar, faz muito bem: eu mereço!
ô gênio do cão esse nosso ein?
Será que um dia aprendo a ser menos impulsiva? Estou tentando amiga, há décdas! E olha que já melhorei! Somos ou não "almas gêmeas"? beijos

Beth/Lilás disse...

Tati,
Entendi tudo e digo-lhe que seu post é o mais lindo que li nesta blogagem.
Tenho certeza que a pessoa entenderá assim também e tudo ficará na paz.
um beijo carioca

pensandoemfamilia disse...

Viver é acertar e errar. O perdão ao outro é tão significativo como saber nos perdoar.
Vc sempre tão reflexiva quanto aos seus atos. Parabéns.
bjs

Macá disse...

Tati
Eu não consigo me ver nessa situação, porque dificilmente ajo com impulsividade, mas...... mesmo assim, é claro que cometo injustiças. É do ser humano. Se desculpe primeiro por ter agido dessa forma e pronto, peça perdão.
Como disse a Nilce, se ela for realmente sua amiga, entenderá.
Mas foi muito lindo seu depoimento, tão verdadeiro.
Nesse negócio de fazer julgamentos impulsivos pode-se cometer muitos erros. Você já viu o filme "12 homens e uma sentença"? Eu o vi ontem novamente e mesmo morrendo de sono, continuei a ver (parece que alguma coisa estava dizendo que eu precisar dele hoje). Se não viu, tente ver, é maravilhoso e fala sobre isso que você postou hoje.
um beijo grande
PS: Estou triste com o fim da Blogagem snif, snif, snif

Néia (Dulci) disse...

Sabe Tati o que mais admiro nos seus textos, consequentemente em você, é esse jeito delicioso de ser natural, de não ter nenhuma vergonha de dizer que errou. Você não usa máscaras, adoro isso!
Beijos

disse...

Olá Tati, simplesmente é mágico e envolvente a forma como você escreve. Cada linha é um exemplo de vida, uma lição aprendida de forma prazerosa. Obrigada e parabéns!!!Bjosss

Flávia Mergulhão disse...

Encantada com seu texto!
Passei por aqui para te conhecer e parabenizar pelo texto no blog da Bonfa e me deparei com este mais lindo ainda!
Errar é humano,todos nós damos os tropeços na vida, mas saber pedir desculpas é nobre!

Parabéns.
Voltarei por aqui com certeza.
Bjinhos

Flávia Mergulhão

Astrid Annabelle disse...

Tati que texto bonito!
Errar todos erramos.Assumir?...eis a questão!
Assumiu lindamente...agora é só polir, lixar, etc.
Costumo colocar o seguinte para casos como o seu...precisou disso para que?
Aí tudo fica claro e o perdão por você flui fácil.
Aprendo muito com você!!!
Um beijo muito gostoso
Astrid Annabelle

Lúcia Soares disse...

Tati, nem vou ler os outros comentários, e então não sei se serei repetitiva.
O que eu acho é que temos que ter controle suficiente para não ferir. Porque, depois, pedir perdão "é fácil". Mas até onde esse pedido é bom? Não vai se repetir? Vamos ser sempre impulsivos e "viver" pedindo perdão e esperando ser perdoada?
Sinto como você, se firo alguém acho que fico pior que a pessoa a quem feri. Porque no fundo, somos bons e não queríamos (não podíamos, não precisávamos...) ter feito aquilo que ofende a outra pessoa.
O melhor de tudo é a gente ser sincero, admitir o erro e esperar a poeira baixar, a dor do outro passar, para só então se ter uma conversa.
Acalme seu coração e pense que somos falhos, desculpe-se e a quem feriu.
O primeiro perdão temos que pedir a Deus e implorar-Lhe que abra o coração do outro para que verdadeiramente nos perdoe.
Beijos!

Gina disse...

Tati, tenho mais dificuldade de me desculpar do que aos outros, mas temos que tentar. Não perdoar ou não se perdoar é um peso e tanto!
Bjs.

Marliborges disse...

Bola pra frente Tati. "Caminhando e cantando e seguindo a lição, somos todos iguais, braços dados ou não" (...) É isso aí amiga. Todo mundo erra. Bjsssssss

Socorro Melo disse...

Tati,

Somos humanos, humanos demais, e como humanos, nossa especialidade é errar. Mas,por outro lado, temos a faculdade de aprender, e para aprender, temos que primeiro reconhecer. E você reconhece quando erra, isso é o mais importante. É verdade que o buraco fica na madeira, mas, com ele refletimos naquilo que podemos melhorar. Da próxima vez, já nos freiamos e conseguimos evitar novo buraco. Afinal, estamos aqui pra aprender, pra evoluir. E quanto a frase de Chico, acho-a sublime, e bem apropriada. Também sou assim, impulsiva, mas, a cada dia aprendo um pouco (será?).

É um prazer estar aqui. Admiro muito seu talento.

Socorro Melo

Yoyo Pizy disse...

Ô amiga,
Reconhecer o erro e pedir perdão já é um grande passo.Espero que tudo acabe bem, que você não perca o amigo,espero que ele leia esse post e resolva perdoá-la.
Bjo no core

Camille disse...

Todo mundo erra. Eu erro tanto. Agora que vi , referencia ao texto mais recente, voce escreveu alguma coisa para alguem e nao devia ter feito. É sofre quem recebeu e sofre voce. A vida é cheia de sofrimento, mas tem coisas bem mais graves. Voce ja se desculpou. Mas vi voce dizendo que vai dar um tempo no blog. Faz bem, olha e aqui metendo o bedelho e e nem te conheço. Acho que acabamos muito envolvidas com essa vida virtual, socorro! A vida real é mais real, é mais importante. Voces sao u grupo de muita mulher junta, heheheh Da ate pouca briga, voces sao muito civilizadas, que bom! Tira umas ferias, que so blog é umuito chato.
Beijos,
Cam ( aquele lance dos 3 dedinhos do seu chefe, é batata. Ele deve ter feito algum curso com a Anna Sharp, uma genia!)

Bombom disse...

Com o teu depoimento, fizeste-me lembrar do que eu sofri durante a Menopausa, porque embora seja uma pessoa calma e ponderada, durante essa fase, parecia uma garrafa de champanhe a que tiraram a rolha. A mínima coisa, saltava logo a resposta...e nem sempre a mais conveniente! Por isso imagino o que sentes. Não é fácil mudar mas o facto de termos consciência disso, já ajuda. E como o tempo atenua as feridas, talvez um dia destes te consigam perdoar...Bjs. Bombom