Por que há questões que são melhor respondidas com novas indagações!

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Ingredientes soltos, traduzidos em coisa alguma...

Não sei se vocês se sentem assim, mas tem dias que sinto como se eu fosse apenas ingredientes... Sou farinha, ovos, manteiga, leite, fermento, açúcar e até chocolate. Isso não faz de mim um bolo, certo?

Hoje eu sou apenas ingredientes, e não uma receita. É possível ainda que não me torne receita de bolo e sim de pão, por que preciso ficar quietinha nestas horas, senão a massa não cresce. 

Tentei juntar letras de todas as formas. Há coisas importantes que eu gostaria de dizer, só que as frases, os argumentos, não se formam. Vou ficar quietinha, no meu canto. Em breve tudo isso passa. Sei que estes momentos só acontecem quando coisas grandes vão acontecer, quando alguns saltos se insinuam. O forno está aquecendo, o tabuleiro, sendo untado. Em breve participarei do banquete. Me ajuda a pôr a mesa? 

Neste estado, sem boas palavras que expliquem, encontrei esta música, da nova Sandy, que admiro por que é uma mulher que se reconstrói, e me identifico em muitas de suas facetas. Parece frágil, superprotegida, só que há força interior, algo que não é palpável, tangível. Está apenas ali. Em mim também!

Acho melhor ouvirem a música. Se eu continuar neste papo vão achar que estou usando drogas, ou bebendo... sei lá. Caso seja importante frisar, sou careta, careta, está bem? A confusão é apenas uma faxina mental...

Aproveitem a Sandy. Escolhi um clipe com letra, por que é a letra que interessa neste momento... pelo menos para mim! Não explica nada, mas é isso...

Beijos a todos,
Tati.

8 comentários:

Tatiana disse...

Nossa Tati, sem querer ser voce foi inspiraçao so....que inveeeja...hahaha...adorei a metáfora!!!!
Essas confusões mentais no fundinho sao uma delicia, nos ajudam a nos descobrir cada vez mais!!!!
Amei...vou la escutar a musica Tati, e curta esse momento aí quietinha no teu canto que é bom demais!!
Nao te abandono nao, bolo, pao, tortilla..."I don't care"..rsrs
Beijocas!!!!

Isadora disse...

Tati, minha amiga, eu a ajudo a colocar à mesa, se isso for ajudar!
Todos nós temos esses momentos. Tantas coisas importantes e nos faltam palavras, ou o fio condutor para colocarmos essas palavras no trilho.
Assim como a massa, precisamos descansar para que possamos crescer e alimentar a todos os que estão a nossa volta.
Você tem a sorte de passar por uma faxina mental, e eu fico me perguntando o quanto preciso fazer essa faixina e não faço. Por medo de não conseguir limpar tudo o que desejo, ou porque ainda nào tive corragem de iniciar.
Um beijo e meu carinho

Cintia Branco disse...

Tati,

Entendo bem seus sentimentos, mas é sempre assim e por algum tempo, depois passa e volta tudo ao normal.
Beijos e boa transformação

Trocando ideias - Espaço Mulher disse...

Todos nós passamos por esses momentos.No fundo são importantes para o nosso crescimento!
Vai passar!
Bjs

Nilce disse...

Oh, minha linda,

Temos que passar por momentos difíceis, pois fazem parte do nosso crescimento.
A letra da música fala muito bem dessa busca constante por nós mesmos. Amei!

Fica bem. Amanhã é um novo dia!

Bjs no coração!

Nilce

Nilce

Eduardo Medeiros disse...

Tati, isso acontece nas melhores famílias..rssss

Mas sabe, esses momentos de ficar "descansando a massa" são importantes e realmente "saltos" vêm por aí. Logo, logo, o banquete sai do fôrno. Gostei da clip, a Sandy é uma gracinha e canta muito bem.

abraçõs

Cacá disse...

Eu tenho aqui guardadas umas conversas com quem gosta de escrever, então trouxe um depoimento porque tem dias que eu também me sinto assim. Vamos lá:

“Chega um dia de falta de assunto. Ou, mais propriamente, de falta de apetite para os milhares de assuntos.
Escrever é triste. Impede a conjugação de tantos outros verbos. O dedo sobre o teclado, as letras se reunindo com maior ou menor velocidade, mas com igual indiferença pelo que vão dizendo, enquanto lá fora a vida estoura não só em bombas como também em dádivas de toda natureza, inclusive a simples claridade da hora, vedada a você, que está de olho na maquininha. O mundo deixa de ser realidade quente para se reduzir à marginalia, purê de palavras, reflexos no espelho (infiel) do dicionário.”
(Carlos Drummond de Andrade, Para Gostar de Ler)

P.S: Tati, o negócio do melão é sério. Eu comprei no final do ano passado para enfeitar a mesa da ceia. Como ninguém comeu por estar meio verde ainda, eu guardei e ele não amadurece de jeito nenhum. Parece aquelas flores de plástico da música dos Titãs, hahahah. Agora nem tenho coragem mais. Sei lá quanta química deve ter! rsrs. Abraços. Paz e bem.

Nika disse...

Olá Tati, todos nós temos esses momentos não é mesmo?, na verdade ultimamente vivo mais no meu pensamento,eles fervilham e eu estou me encontrando, acredito que é uma fase que todos temos de vez enquando, ao contrário de vc não consigo escrever tão lindamente mesmo sem inpiração..Já já passa e vc vai se encontrando e melhorando a cada dia..
bjs