Por que há questões que são melhor respondidas com novas indagações!

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

O que deixo para trás em 2010

Este texto faz parte da blogagem coletiva proposta pela Crica Viegas, do Um pouco de tudoComo ela mesma sugeriu: "Pode ser um projeto que não se concretizou, um passado definitivamente enterrado, um projeto que tá na gaveta com possibilidade de ainda sair dela, algo bom ou ruim que tenha ficado no ano de 2010, uma lembrança boa, uma vontade, o tema é seu!!!" Quer participar? Escreve seu texto e avisa para ela! 


Este é o tema sobre o qual mais desejo falar por ora. Isso por que fecharei 2010 deixando muitas coisas para trás. A principal delas é o meu trabalho. A equipe para a qual trabalhava desde 2007. Ok, nem é tanto tempo, para mim foi uma vida. Aprendi muito, conheci minha amiga-espelho (hoje nem imagino minha vida sem ela), experimentei coisas que jamais havia imaginado, inclusive participar da produção de vídeos educativos - ponto alto deste tempo na equipe. Muitas coisas boas aconteceram, algumas ruins também, mas saio com um saldo de boas recordações superior ao das tristezas. Isso é ótimo. Não está sendo fácil. Muitas coisas interferiram neste desfecho. A principal é que o tema, a área de trabalho do meu chefe mudou. E eu não quero mudar a minha! Levei algum tempo para entender, ter certeza, aceitar. Agora é começar de novo. Do zero. A Alê (daqui) disse que a gente nunca recomeça do zero, a gente tem bagagem, não volta ao ponto de partida. Pode ser, mas eu me vejo começando 2011 no mesmo ponto em que estava em 2007, quando escrevi para meu chefe pedindo espaço em sua equipe. É diferente, mas tão igual... Dizem que atitudes iguais levam a resultados semelhantes. Eu quero que algumas coisa se repitam, mas não tudo. Estou pensando nos caminhos possíveis. Sei que quero continuar na mesma instituição.

Ontem, quando escrevi para a Astrid, ela me respondeu dizendo que se identificava muito comigo, que quando lia o que eu escrevia lembrava-se dela mesma com a minha idade. Comentei no jantar com o Vi, dizendo "que bom, não é? Quem sabe quando eu tiver a idade dela também serei assim, terei produzido alguma coisa, evoluído?"  A sensação atual é de estar como um cachorro correndo atrás do próprio rabo. Sim, pode parecer engraçado, mas não é. Não sei se em algum momento já se sentiu assim:  Repetindo tarefas inúteis, que não trarão qualquer resultado ou consequência. Apenas movimentos mecânicos. 

Estou de cabeça fria e sei que é o que amo. É o que faço de graça, se preciso for. Faço de alma, coração, cérebro. Sorriso aberto. A questão é que quando não temos uma boa condição socioeconômica não dá para dizer "vou me realizar profissionalmente", e pronto! Todo o peso nas costas do marido. Ajuda frequente dos pais. Tenho 35 anos! Uma casa, marido, filho. Não posso viver meu sonho cor de rosa se ele não trouxer "divisas" para minha casa. 

Deixarei em 2010 um sonho, e entrarei 2011 com mais questões: O que faço agora? Bolsista novamente? E até quando? Isso supre as necessidades de minha família? Quais as outras opções que me restam? A parte boa de começar de novo são as muitas possibilidades, a parte assustadora é ter que definir uma direção. E, de preferência, acertar!


É, eu poderia, tranquilamente, deixar em 2010 o perfeccionismo, essa necessidade carrasca de fazer certo, de perfeição e graça. Mas acho que ela ainda entra comigo no próximo ano.

Começarei 2011 como mãe e dona de casa. Não me agrada. Desculpe se acabo com a boa imagem que fazem de mim. Sou péssima nesta função. Eu adoro ser mãe e até acho que sou boa nisso, desde que eu não precise ser 24h/dia. Assim não funciono bem. Cuidar da casa então... Sou uma negação nesta função. Não sei fazer bem e não gosto. Faço, por que tem que fazer. Não sinto qualquer prazer nas tarefas. Nem aquele papo de satisfação em ver limpo e arrumado. Nesta hora eu me sinto uma bagaceira, suja e suada, cansada, e fico ainda mais estressada em verem bagunçando e sujando. Viro uma bruxa! 

Como mãe 24h/dia não tenho conseguido trabalhar muito, aliás, estou trabalhando NADA. Tem um garotinho que me chama de 5-5 minutos, até para não dizer coisa nenhuma. Como me concentrar? Quero me recolocar, fazer alguns contatos, mas está difícil conseguir. Sei que a única alternativa é relaxar e esperar fevereiro, quando as aulas recomeçam. Aí poderei trabalhar no tempo em que ele estiver na escola. Mas ainda não consigo deixar para trás meu lado ansioso, tenso. Eu quero, quem sabe chegou a oportunidade que faltava?

Voltando à entrevista da Astrid, fiquei pensando se não seria a hora de me entender como mãe. De aceitar melhor este desafio. Nada fácil, convenhamos. Quem sabe aceitar como férias, um tempo para nos curtirmos. Pensar em trabalho quando as aulas retornarem? Está sendo pesado, sabe? Uma vontade de girar a roda, de movimentar meu mundo... Sou ansiosa, controladora. Pode ser mesmo o exercício que faltava, para que eu aprenda esta lição, do ponderar, da paciência e tranquilidade, mais fé, mais confiança. Sei lá. Se eu aprender a me dominar, nas últimas semanas que me restam, posso entrar 2011 como uma nova Tati. Será que consigo mudar assim, tão rápido? 

Com tudo isso pode ser que eu esteja deixando em 2010 uma Tati mais tensa, tornando-me uma pessoa mais ponderada, em busca de equilíbrio. Mais envolvida com minha casa, com minhas funções domésticas. Não sou uma mulher deste tipo, mas ela pode emergir em 2011. Não será uma perda e sim um ganho.  E quando, em 2011, eu retornar ao mercado de trabalho (nem cogito outra hipótese), voltarei cuidando melhor da minha casa também.

Sendo muito sincera não sentirei saudades de 2010. Não foi um ano repleto de realizações. Ainda assim foi um ano de família unida, saúde tranquila, pequenas conquistas. Foi o ano em que tornei este blog público e que conheci tantos amigos, ano em que me permiti escrever para ser lida. Pode ter sido um ano de semeaduras, algumas BEM duras. Que venha 2011, e que seja mais macio. Os pés estão cansados! Obrigada por estarem comigo em 2010. Não quero deixá-los para trás. Vamos pular sete ondas de braços (virtuais) dados? Vamos juntos? E que novos sonhos possam nascer neste ano. Que a certeza do caminho a seguir se faça, por que não é mais tempo de procura, é tempo da jornada.  Em 2011 quero apreciar mais a paisagem do caminho, esquecer um pouco do destino e aproveitar a viagem. Mas quero ir na janela desta vez!  


Beijos a todos,
Tati.

43 comentários:

Bloguinho da Zizi disse...

Tati
Te ler é sentir tua alma.
Você já conquistou tudo isso, pois está tudo em você.
O lado da janela está vago e é teu.
Tome posse e siga tua viagem e aprecie a paisagem.

Aprendi uma vez que devemos derrubar a ponte que acabamos de atravessar.

A tua, vc já está derrubando e se permitindo o NOVO, seja ele qual for.

Beijinho

Simone Aline disse...

Nossa Tati, como me identifiquei com seu texto em algumas partes... em especial: "Tenho 35 anos! Uma casa, marido, filho. Não posso viver meu sonho cor de rosa se ele não trouxer "divisas" para minha casa." Eu gosto de ser dona de casa, de cuidar de tudo... mas é como vc disse, infelizmente minha situação sócioeconômica tb não me permite isso... As vezes me sinto um "nada"... com essa idade, e não tenho nada de tão importante... isso é tão ruim! Mas o que gosto tb faço de graça... e infelizmente chega uma hora que não dá! "Todo o peso nas costas do marido. Ajuda frequente dos pais" é realmente uma situação desagradável... conheço-a bem de perto! Que 2011 seja um ano melhor para nós, para nossos planos, para a realização de sonhos... Grande beijo!!!

Adriana Alencar disse...

Gostei muito da afirmação da sua amiga que ninguém começa do zero pois todos temos uma bagagem; é a mais pura verdade! Desejo que essa bagagem lhe faça achar o caminho mais rapidamente e que 2011 fique marcado como o ano da virada em sua vida!
Bj
Adri

Lu Souza Brito disse...

Querida Tati,

Por tantas vezes me sinto assim como você "um cachorro correndo atrás do próprio rabo" e isso é frustrante. Parece que a coisa não gira e estou agindo mecanicamente, quando acontecerá algo novo, tipo, "xázan" e tudo mudará???
2010 foi um ano tãaao, tão comum que sequer consegui escrever sobre ele. Claro que aconteceram algumas coisas boas - como a compra da casa própria, mas o nao conseguir reformá-la este ano e todos os stresses que tive tornou a compra quase de sabor azedo, sabe. Agora começamos a ir em frente de novo.Mas de um modo geral me senti assim: um passo para frente, dois para trás. Foi assim com a saude, foi assim em alguns momentos com a familia.
Você se mostrou tão transparente aqui no seu relato que eu que nao tive inspiração para escrever sobre mim (preferi falar de 2011) coloquei aqui o que deveria ter escrito lá, vai entender, ahaha.

Vou finalizar porque meu comentário virou post: Eu amei te conhecer este ano, sinto um carinho enorme toda vez que venho aqui, em cada uma das suas palavras, você é assim muito especial. Vejo um pouco de mim em você e a sua determinação me mostra um pouco do que quero ser.
Não somos perfeitos e vamos trilhando nosso caminho com alguns acertos e bastante erros. Assim é a vida.
Desejo pra você e sua familia um lindo Natal (quando a Amor, estamos proximo da perfeição) e que 2011 seja assim...porreta de tão bom!!!

Beijos. Te Adoro muito.

lolipop disse...

Tati...
o seu texto é lindo, sentido e sincero. Um balanço de ano honesto e ponderado com vontade de mudar alguma coisa e seguir em frente, vendo a paisagem á janela...
Eu partilho com vc essa ansiedade e vontade de fazer tudo girar...custa ter que dar um tempo, não ver as coisas acontecer.
Só posso desejar que seu 2011 seja um ano cheio de paz e conquistas ainda que essas sejam interiores...
BEIJO GRANDE
CARINHOSSSSSSSSSSSS
Feliz 2011!

CARLINHA disse...

Também não vou levar uma grande saudade de 2010...

Florzinha obrigada pelo apoio, viu?

Sorte para todas nós!!!

Bjos

Lúcia Soares disse...

Tati, tenho muuuiiito mais idade que você e acredita que ainda me sinto assim?
Então, o que posso lhe dizer: corra atrás do seu sonho, da sua vida.
Falo muito que ser mãe e ser profissional não são "funçoes" compatíveis, mas não há como fugir disso. Não se pode abrir mão nem de um, nem de outro, se queremos os dois.
Abri mão de mim, como pessoa, para ser mãe, esposa, dona de casa e hoje sou absolutamente frustrada.
Não posso lhe aconselhar muito, como vê, a não ser dizendo: faça o que digo, não o que faço.
Feliz 2011! Com muitas realizações.
Bj
(também estou na blogagem)

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

Acho que esse sentimento seu talvez nunca acabe... porque é típico da pessoa que não se acomoda, que tem sonhos e vontades, que vai a luta e quer melhorar.
Por isso a inquietação.
só posso te desejar é muita boa sorte em seus caminhos, vai com fé, acredite em você mesma.
se tá com vontade de trabalhar, vamos em frente! ano novo vindo, encaminhar vida nova.
E cada um tem uma natureza, se vc notou que ser dona de casa não é sua praia... não se force então a se encaixar em padrão "esposa".

sabe q eu tb estou aliviado que esse ano acaba? não foi um ano ruim pra mim, nem bom, mas pra muitas pessoas queridas, família e amigos, não foi nada bom...

acredite em vc, sempre. e se enxergue com o mesmo carinho que vc olha pro seu filho, para se entender melhor, se compreender.
bjs

Nathália (Ná) disse...

Tati é engraçado como pensamos que apenas nós passamos por coisas assim, temos esse sentimento de impotencia, parece que perdemos algo pelo caminho, nesse caso eu achava que somente eu me sentia assim. O ano de 2010 não foi muito realizador para mim (individualmente), como disse perdi algo que não sei o que é e não consigo encontrar, mas para a familia em um todo foi um ano bom, o Márcio teve a realização que tanto sonhava no trabalho, então como um conjunto só tenho a agradecer e não posso reclamar de 2010.O problema é o meu Eu, um ser individualista que não se sente realizada, talvez como mãe e esposa sim, pois não gosto de ser dona de casa, nada contra, apenas não levo jeito para a coisa, mas não me sinto realizada profissionalmente e como pessoa tenho deixado um pouco a desejar. Torço para que 2011 seja diferente, espero ter força de vontade e iniciativa para fazer tudo diferente.

BJS!

Chica disse...

Essa sensação que tens é a de tantos nós...

Deixamos pra trás coisas que não gostamos, levamos outras tantas conosco.

Tomara possamos, na hora de colocar na balança, ver que somamos mais do que perdemos..

Nem, sempre é assim é a vida é legal por isso. São altos e baixos que nos fazem crescer.

Eu gostaria de deixar pra trás uma parte do meu crscimento,rsrsrs( muitos e muitos quilos, como uma porca véia,srrsrs....cresci para os lados!!!

Mas não dá tempo e sabes por que? Porque eu assumo> fui e ESTOU preguiçosa...
Mas vou melhorar!!!
E assim vamos indo. Desejo tuuuuuuuuuuuudo de bom, sempre !beijos,chica

Palavras Vagabundas disse...

Tati, só pelo seu post eu já acho que está no caminho certo! Que venha 2011 com as surpresas que todo ano nos traz e que elas para você sejam boas, mesmo que com algum sacrifício para q o balanço do ano q vem seja maravilhoso.
bjs
Jussara

Mariana Hart disse...

Tati, vc é uma pessoa muito sensível né!? E eu adoro isso! Vc sabe demonstrar seus sentimentos com clareza e uma certeza sem tamanho! É incrível! Dá p/sentir daqui!

O que pergunto é...será que vc não se cobra demais!? Jogar algumas coisas para o alto, e deixar rolar as vezes pode ser um caminho, mesmo que não da forma que vc programou ou imagina. Acho que o que vc sente qto ao ano que passou, a maioria das pessoas tb sentem! E isso é bom, para o ano seguinte ser sempre mehor ainda do que o que já passou!

Beijão grandão!=)

Beth/Lilás disse...

Tati querida!
Muito boas e sinceras suas reflexões nesse texto da ótima blogagem proposta pela Crica.
Vai com fé e força, não tenha medo, pois o que você tem interiormente é o que a levará a concretizar tudo que deseja.
Parabéns, lindo texto!
bjs cariocas

Astrid Annabelle disse...

Tati querida!
Você me fez sorrir e "viajar' de novo!
É a mais pura verdade o que lhe escrevi!
Sabe quando a minha vida começou a funcionar de fato?
No dia em que eu fiquei viúva de uma hora para outra sem prévio aviso. Pois é! Chocante?
Quando insistimos que queremos as coisas do nosso jeito e não queremos aprender lições importantes então ela (vida) nos prepara situações onde ou você vai ou você racha!
Eu vivia reclamando que queria assim e assado na orelha do meu marido. Que isso mais aquilo....quando me vi sózinha, assim pufff...percebi com toda a clareza o que faltava fazer!
Apenas agradecer a Deus por tudo que tenho. Ter (eu tive) uma conversa de pé de orelha com Ele (Deus) e dizer...eu quero me realizar profissionalmente e não sei como?
E aceitar sua condição atual com alegria e ter absoluta certeza que a vida vai lhe apresentar a solução na bandeja.
Duvida?
Experimente. Acalme seu coração...e seja feliz sempre!!!!
Depois me conta...
Um beijo gostoso e agradecido pelos links!
Astrid Annabelle

Crica Viegas disse...

Olha Tati...sei EXATAMENTE como é interromper sonhos e "ter" que se tornar mãe e dona de casa fulltime. Não é fácil. Desgastante, irritante, estressante e tantos outros "ante" que se pode imaginar. Sou mãe e dona de casa, formada desde 1995, quando meu marido virou e disse "não quero que ninguém fique com nossos filhos nem os crie, tem que ser vc". Aquilo foi a mior bigorna que caiu na minha cabeça numa vida toda de estudo e estudo pra me tornar um ser profissional. Eu tinha escolha? A escolha na época era mudar de marido, mas eu optei por ficar com o homem que amava e que era bom e amoroso, só não qeuria avós ou estranhos educando nossos filhos, e isso siginificava dar um stop na minha vida pessoal que sei lá quanto tempo duraria. Foi super difícil pra mim, eu tinha 25 anos e toda a energia do mundo.
Muita água passou embaixo da ponte, e hoje digo que meus filhos são felizes porque fiquei. E gratos. E me valorizam muitíssimo como mãe. Esse é o meu caso, o seu claro que não vai ser o mesmo, pois vc é outra pessoa em outra realidade. Mas isso tudo é pra te dizer que às vezes os revéses da vida nos ensinam coisas que nem imaginamos. Façamos um exercício (que eu tenho feito com muito esforço, pois minha na tureza é ansiosíssima): Vivamos um dia de cada vez. Veremos lá na frente que compensa, a ansiedade extrema só nos deixa doentes, como eu fiquei.
Obrigada demais por participar de forma tão sincera da blogagem. É muito bom te conhecer cada dia um pouquinho mais.
Bjssssssssssssssss

Silvia disse...

Tati.
Vcê conseguiu me emocionar com esse texto.
E olha, já gostava daqui, mas, seu blog está cada vez mais ganhando meu coração. De verdade.

"Eu adoro ser mãe e até acho que sou boa nisso, desde que eu não precise ser 24h/dia"
Acho que não deve se preocupar com o que pensam, porque sentir isso é natural. Dia desses eu disse algo à uma amiga, eu amo meu filho, mas, não sei se amo ser mãe, entende? Deve ser esse lance 24 horas, pq se fico uma hora longe sinto um imenso vazio.

Bora pular as sete ondas. E que seus desejos pra 2011 se concretizem.

Beijos

Tatiane Garcia disse...

Pertinente isso q te disseram de nunca começar do zero!! acho que é bem verdade..sempre acumulamos algo, nem que seja experiência!!
gostei...
sobre 2010, gata garota...acho que não foi fácil pra ninguém!!!

Teresinha Ferreira disse...

Olá Tati,
Que texto lindo!!
Vamos começar 2011 com bagagens e experiências passadas. Vamos resgatar e dar continuidade aos projetos que não terminamos. Vamos ser mais determinadas a enfrentar os obstáculos e atingir nossas metas.
Sucesso sempre.
Bjs mil

Açuti disse...

Oi Tati,

nossa vc descreveu o que sinto e que não consegui expor assim tão perfeitamente!!!
Me sinto correndo atrás do rabo faz tempo; sou péssima dona de casa e odeio a profissão, tb me acho uma boa mãe, mas em tempo curto, estresso fácil fácil...
Adorei como escreveu...me identifiquei totalmente!!!
vamos lá, né, 2011 tentar renovar a mulher que somos...
Quem sabe ao pular as ondinhas virtuais, essa água salgada não leve embora muitas destas questões e abra a chance de nos renovarmos por completas!!!

super bjkssss

josi stanger disse...

Então Tati... o ano passou, assim simples, passou, com coisas boas, rizadas, lágrimas, incertezas e muitas horas digitando por aqui. Muita história, muitas cores. E é assim que é. Quando vai chegando o fim de ano, vamos aqui com nossos botões fazendo a retrospectiva e os planos pro ano que chega perto. Só sei, que ele virá. Infalível, carregado de experiências e sonhos e que caberá a nós sonhá-los e realizá-los. Que venha então. Com muitas letras pra desenrolarmos, com muitas cores e tons com muitos gigabytes de abraços virtuais.
Beijinho Tati, quero acompanhar teu novo ano e ter a tua companhia para acompanhar o meu!
Josi

♕Miss Cíntia Arruda Leite ღ disse...

Oi Tati querida!!

Hoje vim rapidinho pois não quero me ausentar da blogosfera sem deixar meus votos de feliz natal, principalmente para aquelas por quem tenho um enorme carinho, respeito e admiração!
E você, é uma dessas pessoas, uma das grandes descobertas dessa blogosfera, por isso quero desejar muita saúde, paz, luz, sorrisos e que você tenha sempre muitos desejos e que eles te movam sempre ao caminho da felicidade!"
Gosto muito de ti!

beijos

Naty e Carlos disse...

"Se chovesse felicidade, eu lhe desejaria uma tempestade. Feliz Natal e um Prospero Ano Novo repleto de saude paz amor na companhia de todos os que vos são queridos.
São os nossos maiores desejos.
Bjs com carinho

Nika disse...

Saudades de te ler. Tô numa correria danada, me identifiquei com muita coisa que você escreveu, assim como vc tbm quero que 2011 seja mais macio, que tudo que planejamos se concretizem nesse novo ano.
bjs

Cacá - José Cláudio disse...

Fslei agora há pouco para a Lúcia e para a Norma que quero chegar aos 80, quem sabe, 100 dizendo que nem o Neruda: "Confesso que vivi". E desejo-lhe também, Tati, com muita saúde , alegria e muitas conquistas fecundas. Meu abraço. Paz e bem.

manuel marques disse...

Bonito texto.

Beijo e bom fim de semana.

Maria Célia disse...

Oi Tati
Já te disse e repito, como você escreve bem. Adoro ler seus textos. Você consegue repassar tudo que está sentindo, suas frustrações, seus desejos, suas conquistas e isto é muito importante.
Acho que você tá na direção certa pra conseguir trabalhar no que gosta, mais evidentemente olhando o lado prático e material, que sem sombra de dúvida precisamos dele, muitas vezes pra comprar nossos sonhos.
Grande beijo e que tudo se acalme pra você.

Manuela Freitas disse...

Olá Tati,
Eu fico fascinada sempre com a tua forma de escrever, que é aberta e sincera, vem da alma, escreves como quem está a ter uma conversa cara a cara!
Pois é minha querida os dilemas da nossa vida, eu penso que muita gente os tem, mas ainda há quem se acomode com as situações.
Evidentemente que mãe e dona de casa a 100% já não é o sentido de realização para uma mulher de hoje. Todas as funções são importantes e todas se complementam e eu desejo que em 2011 arranjes uma alternativa de vida que te satisfaça.
Beijos,
Manú

orvalho do ceu disse...

OLá, querida
Ressalto o que vc diz de não ter saudade do 2010...
Post bem elaborado,menina...
Ano Novo: Vida Nova!!!
Boas Festas!!!
Bjs e paz

* Jane by Jane... disse...

hmmmm prazos, datas ajudam, porem nosso cérebro é que indica : LIMITE ! cheguei aqui, hora de mudar. E isso está acontecendo com vc. e se vc. me permite : é ótimo . Seja pra que lado for, pra onde for, você vai saber lá na frente como está sua decisão foi sábia.
Acontece em todas as idades, todos os dias. Aproveite a sua oportunidade. Seja sábia..deixe a vida te levar um pouco. Estou acolhendo todas voces, pulando as ondinhas afinal eu estou com o mar aos meus pés, este ano ! hahahahha
Beijo Tati. Fica feliz !

* Jane by Jane... disse...

corrigindo o acento alí : Seja pra que lado for, pra onde for, você vai saber lá na frente como "esta" sua decisão foi sábia.

Gisley Scott disse...

Olá Tati,

tb me sinto recomeçar do zero como vc- me indentifiquei com a descrição do cachorro pega-rabo.Eu ainda estou me adaptando por aqui.Como vc, estou cansada, mas o meu cansaço é de ter minha vida nas mãos do governo americano, de não poder trabalhar, estudar e dirigir.De ter que pedir carona pra todo mundo pra poder ir p/ algum lugar e ainda sim as pessoas nao querem ser chatas, mas ao mesmo tempo elas deixam transparecer nos torpedos que parece inconveniência.

Mal posso esperar para que o meu ajuste de status saia.Quero uma vida normal de volta.

Bjos

Luma Rosa disse...

Na verdade é que nós mulheres nos colocamos em segundo plano, terceiro, quarto plano... primeiro a prioridade é do marido trabalhar, a realização dele, quem vai ficar em casa com o filho, quem vai cuidar da casa... nem sempre as tarefas são divididas quando a mulher trabalha fora e daí, sobrecarregadas, fica difícil crescer! TEnho amigas que optaram por só casarem depois da realização profissional e outras que depois dos filhos criados (adolescentes) resolveram voltar à ativa, mas daí o mercado de trabalho é ruim para quem está acima de uma certa idade, tanto homens quanto mulher. Concurso público ou montar o próprio negócio, são as alternativas! Se você quer voltar à ativa, não espere muito! Aproveite essa entressafra de final de ano e início e elabore suas metas, pesquise as empresas e espalhe seu currículo. Esperar até Fevereiro quando as empresas começam a todo vapor e com os quadros completos pode não ser o melhor! Comece já! Aproveite a vontade de mudanças! Boa sorte!
*Tem um cartão para você no "luz"! Beijus,

António Rosa disse...

Lindas lembranças, as suas. E muito bem escrito. Façamos todos o restart. :)

O 'Cova do Urso' vai entrar de férias hoje, mas antes, vim aqui desejar umas Festas Felizes.

Desejo tudo de bom para 2011.

Abraço.

António

lynce disse...

É só mesmo para te deixar um beijinho e desejar-te um excelente fim de semana.
:)))

Camille disse...

Oi Tati,
Lindo texto, sincero, da para perceber em cada virgula. E tranquilo embora no fundo e no raso voce esteja falando de uma ansiedade: realizar uma obra. Sao tantos os pontos que voce tocou que é dificil sintetizar num comentario. Mas valeria um post ou uma carta, e-mail, para te responder o que penso, comentar.
Vou tentar por aqui: tenho mais idade que voce, sou formada em Sociologia, em Psicologia, em Msrketing e agora em "Chef". Ja fiz um monte de coisas, mas nao sou o Dr Saibin que inventou a vacina contra poliomelite. Tambem adoraria fazer uma coisa grandiosa para a humanidade e chamar isso de minha obra.
Mas ja entendi que a obra é a vida. Se todo mundo tivesse a vontade de descobrir a cura de alguma coisa, o que seria da poesia do mundo? O que seria da diversao das pessoas? O que seria da vontade de encontrar novos mundos sem sair da poltrona, como é quando se le um livro? Cada qual com seu "cada qual" como diz o povo.
Estou sem dormir por causa de um assunto que tenho que deixar para tras em 2010 para 2011 me dar a chance de ficar mais tempo perto da minha filha.
Os pequenos precisam de nos, por isso nos chamam cada cinco minutos. Lamento pelo tempo que nao fiquei com meu filho mais velho. Eu estava trabalhando e ganhando rios de dinheiro. Mas meu filho cresceu e nao teve aquela sensaçao bonita de ter uma MAE aconchegante e proxima.
Aproveita que seu filho é pequeno, que voce SO tem 35 anos! Tem a vida inteira pela frente. Pode ate fazer de 2011 um ano sabatico. Por que nao?
Beijos e boa sorte.
Cam
ps: tambem fiz a formaçao completa em PNL. Ja tinha me esquecido,e vai ver esqueci de outra coisa tb. Grandes coisas. Isso nao é nada diante da formação de uma familia.

Astrid Annabelle disse...

Tati!
Apesar de eu ter me concedido uns dias para descansar da rotina dos blogs, estou passando de casa em casa para deixar um beijo e desejar que o seu Natal seja do jeito que sonhou!!! Feliz Natal também para todos os seus!
Antes do final do Ano estarei de volta!!!
Inté lá!
Um beijo grandão minha querida amiga!
Astrid Annabelle

pensandoemfamilia disse...

Oi querida
Ser inquieta nos desejos, que bom.....
Não começamos do zero, temos uma bagagem que pode ser aproveitada, recursos importantes, mas que também pode se insirir novos significados.
Somos um, com muitos papéis, e para este UM, que precisamos estar cuidadosamente ir tocando.
Aproveito para avisar que a Regina, hoje está lá no meu espaço com seus traçados infantis. e que há uma mensagem para VOCÊ no meu espaço.
bjs,

Mari disse...

Tati querida...

De tudo que li aqui, muitas coisas importantes eu senti...e uma delas foi esta:

..."Ainda assim foi um ano de família unida, saúde tranquila, pequenas conquistas. "

Isto é o que mais importa na vida da gente, por isso tenho certeza que tudo vai melhorar!

Um beijo grande

Wanderley Elian Lima disse...

Oi Tati
Passei para lhe desejar, bem como a toda sua família, um Feliz Natal e um2011, cheio de realizações com muita saúde e paz.Obrigado pelo carinho de sempre.
Bjux

Socorro Melo disse...

Oi, Tati!

O seu texto está perfeito. É importante fazermos um balanço de nossas vidas, a cada ano, pois, refletimos naquilo que foi bom, no que poderia ter sido melhor, e nos ajuda a tomar novas decisões, empreender novos projetos, enfim.
Com certeza você vislumbrará novos caminhos, e conquistará seus objetivos.
Quero desejar-lhe um Natal muito feliz, junto a sua família. Que a paz e o amor reine em vosso meio, acima de tudo.

Abraços fraternos
Socorro Melo

LILIANE disse...

Tati
já li este seu post outras vezes.
fiquei refletindo sobre ele.
acho que foi importante o ano que passou, é sempre importante o que a gente vive.
a gente simplesmente não entende o porquê de estarmos vivendo um momento na vida.
filhos pequenos, tantas coisas em casa que nos consomem, vontade de crescimento profissional. tudo é perfeitamente normal quando estamos vivendo aquele momento.
Me lembro sempre de uma passagem biblica de Jesus, Maria e Marta.
Marta toda ocupada com os afazeres domesticos e Maria sentada aos pés de Jesus so escutando o Mestre falar.
Marta toda ansiosa(isso nos lembra alguma coisa, rsrs?) chegou e reclamou de Maria pra Jesus.
Ele disse serenamente: Maria escolheu a melhor parte.
sempre me faço esta pergunta quando estou agoniada.
Estou escolhendo a melhor parte?
precisei parar de escrever porque meu caçula chegou chorando.
o que fazer? tentar escolher a melhor parte no momento.
e casamento é assim mesmo, eu acho, com os meus quase 11 anos de casada, hehe
uma época, tudo legal, dinheiro no bolso, viagem, alegria, filho obediente, noutra época, "Jesus sai correndo".
São fases, tudo passa.
beijo minha linda.

Mônica Suñer disse...

Tati, muitos de seus conflitos, são meus também, mas os tenho encarado realmente como um aprendizado. Sou super controladora e esse ano principalmente, a vida tem me mostrado que não controlo nada, nem mesmo minha casa. Estou aprendendo a respirar, respirar e acreditar, sim, acreditar muito! E tem dado certo!!! Bjs, um bom natal e um excelente 2011! Bjs no seu filhinho também!!

Daniela disse...

Tati,
Li teu texto num momento que estava refletindo sobre minha vida também. Achei teu blog através dos favoritos de outros blogs que visito.
Final de ano parece que sempre refletimos sobre tudo o que aconteceu na nossa vida. Ano que vem quero fazer isso todos os dias nada melhor para saber como estamos. Sucesso para você no ano que vem. Acredita que todas as fases que vivemos na vida é um aprendizado, você tem garra, isso está claro pelo teu texto.
Vai dar certo!
bjos
Dani
criancabemvestida.blogspot.com