Por que há questões que são melhor respondidas com novas indagações!

segunda-feira, 18 de julho de 2011

Alegria ou felicidade?

Escrevi este texto no início de março deste ano. Numa fase bem difícil. Na época foi impossível publicá-lo, por que ele estava à flor da pele. Agora a realidade já é outra, mas pensei que ele pode ajudar outras pessoas a se entenderem. Será?

Então, divido com vocês um pouco dos meus pensamentos passados, mas com conclusões mais do que atuais. Um beijo a todos e vamos viver a felicidade, mas sem esquecer da alegria!

Quantas vezes já nos deparamos com textos que separam o joio do trigo? Desmistificam a busca desenfreada pela alegria como caminho para atingir a felicidade. Isso não é novidade para ninguém, certo?

A questão com a qual me deparei, e que, de alguma forma me surpreendeu, foi perceber que sou feliz. Tá, isso eu já sabia. E ser feliz independe de fatores externos. É uma questão interna, pessoal, intransferível. É e pronto. Eu sei que sou feliz, mesmo quando as coisas não estão lá tão boas. Eu sei isso dentro de mim. Sei que fases mais fáceis e mais difíceis revezam-se em nossas vidas e que precisamos aprender a lidar com estas estações. Ser feliz está ali, mesmo quando estamos tristes. E esta dúvida nunca me assolou. Nunca me senti infeliz (tá, provavelmente na adolescência eu me sentia assim com frequência, mas depois não.).

Então outro dia me dei conta que faz tempo que a alegria se despediu de mim. Quer dizer, foi ano passado, mas eu não tinha me dado conta! Sim, continuo sendo feliz, mas estou sem alegria. Dá para entender? Rir já não é tão fácil e espontâneo. Claro que ainda sou capaz de rir, só que tenho rido mais com os lábios que com as emoções. E isso desencadeia coisas como estresse, dor na cervical, enxaqueca, crises de choro...

E então fui buscar a fonte. E entendi que ser feliz é intrínseco, a felicidade está dentro de nós e independe de fatores, mas a alegria não. Ela vem do convívio. E depois que comecei a trabalhar de casa, piorando quando deixei meu trabalho, reduzi o convívio com pessoas. Meu mundo já não é mais o das ideias, não como eram antes. Eu amo trabalhar, pensar, ter ideias, colocá-las em prática... Estou sentindo tanta falta disso... Minha alegria foi embora, sem que eu sequer percebesse. Só me dei conta agora, há pouco tempo. Venho pensando na maneira de falar sobre isso por aqui, mas é tão difícil explicar, nem sei também se estou disposta a ouvir comentários não tão gentis (quando a gente expõe algo que não está muito bem resolvido alguns comentários são cruéis...). Mas eu queria dividir, até por que é aí que reside minha alegria. E quero resgatá-la. Como sou feliz tenho materia prima para me reconstruir, não importa quantas vezes eu tropece, eu me quebre.

Voltar a trabalhar é minha meta. De preferência no que gosto, no que sei. Mas se as portas não se abrirem, preciso de novos caminhos, de novas possibilidades. E tenho perdido a coragem para lutar. A cada negativa, a cada vez que me sinto colocada em banho maria, eu esfrio, eu desacredito em mim. Será mesmo que esta capacidade que gostam de me atribuir existe mesmo? Às vezes acho que sou uma fraude, propaganda enganosa, sei lá. Se sou assim tão boa e talentosa, por que não me absorvem? Por que minha produção não aponta para isso?

Então é hora de apelar para o Ser Feliz, naquele jeito de reconstrução total. Encontrando a causa, mergulhar de cabeça. 

Este texto foi escrito no auge do meu período sombrio, quando estava 24h em casa. Agora já não é mais assim. Ainda não estou como quero, mas estou no caminho. E enfim o convívio com pessoas já é uma realidade outra vez. Incrível a diferença que isso pode fazer em nossas vidas. Somos seres gregários. Não é qualquer um que pode tornar-se ermitão, morar isolado em uma montanha... A gente murcha sem a troca de energia... Não se isole!!!

É isso! Vamos compartilhar sempre. É o que viemos fazer aqui: aprender a conviver!!!

Beijos a todos com muito carinho,
Tati.

34 comentários:

Valéria disse...

Oi Tati!
Mesmo sem comentar sempre lia seus textos e faz um tempinho que não te vejo por aqui. Senti falta!
Exceto na parte de ser feliz, pois não me sinto assim, concordo plenamente com ter alegrias, achei que o texto havia sido escrito por mim. Noooossa direitinho o que passei e o que as vezes penso de mim. Estou dizendo isso para completar com o seguinte, Não desista nunca, invista em você e não pare de buscar seu espaço, você é muito jovem ainda e encontrará uma colocação seja no que você tem prazer em fazer, seja no que você aprenderá a ter. Eu desisti, achei que o que aparecia não valia a pena na época com quatro filhos pequenos e me acomodei, hoje me arrependo muuuuiiiiittto.
Desculpe o desabafo, mas achei oportuno para você escutá-lo.

Beijos e uma linda semana!

Bloguinho da Zizi disse...

Tati
Nada como um dia após o outro não é?
Todo sofrimento, toda sombra estão integrados e daí surge o novo.
Que bom que compartilhou. Vai servir pra dar forças pra quem estiver nesse momento.
Beijinhos

Lu Souza Brito disse...

Oi Tati,

Verdade. Somos felizes, mas nem sempre carregamos a alegria.
Eu estou numa alegria só agora que minhas dores estão diminuindo ( e espero que sumam).

QUE BOM que a fase sombria passou, que tudo está melhorando.
Ainda nao está como gostaria, mas logo ficará.
Seus textos são sempre tão bons. Você faz mesmo muita falta.

Um beijo

Lúcia Soares disse...

Verdade, Tati. Ser feliz não é o mesmo que ser alegre.
Meu marido é caladão, não gosta de agito, é metódico, e quando falo que sinto que ele não é feliz (quase nunca ri, não é de piadinhas, etc.)ele me diz, convictamente que é engano meu, que ele é, sim, muito feliz. Para ele, como é está bom e pronto. Faz parte dele.
Mas com você, que se incomodou com a situação, que precisa conviver, que é alegre e de bem com a vida, a constatação foi uma boa coisa.
Podemos ser felizes, alegres, otimistas, etc. mas nunca acontece o tempo todo. O melhor é entender, como vc o fêz, e deixar a vida correr...
Boa semana!

Misturação - Ana Karla disse...

Oi Tati, concordo totalmente, nem sempre quem é alegre é feliz.
Assim como o marido de Lúcia, o meu é parecido.
Sério, compenetrado, mas gosta de agitação, porém é muito feliz.
Bom você por aqui.
Xerossss

manuel marques disse...

Um texto para refletir.

Beijo.

Manuela Freitas disse...

Querida Tati,
Tu fizeste com que eu pensasse na felicidade e na alegria!
Para mim a felicidade é um estado íntimo de equilíbrio, sente-se, mas precisa de se exteriorizar...de facto uns com os outros a exteriorizamos, para se soltar precisa de cumplicidade!
Desejo que esse caminho chegue para atingir os objectivos que pretendes!
Beijinhos,
Manú

Silvia C. Barbosa disse...

Tati,
Pra varia adorei o texto.
Já fui muito mais alegre, hoje sou muito mais feliz...
Acho até que me isolando me sinto melhor, claro que amigos pra bater papo vez ou outra é bom demais. Trabalhar é bom demais...

Fico feliz que a fase ruim tenha passado... E esse texto tenha sido publicado. Tenho certeza que ajudará muito.

Beijosssssss

Silvia C. Barbosa disse...

Tati,
Pra varia adorei o texto.
Já fui muito mais alegre, hoje sou muito mais feliz...
Acho até que me isolando me sinto melhor, claro que amigos pra bater papo vez ou outra é bom demais. Trabalhar é bom demais...

Fico feliz que a fase ruim tenha passado... E esse texto tenha sido publicado. Tenho certeza que ajudará muito.

Beijosssssss

Mahria disse...

Já fui muito mais alegre, muito mais...Passei por uma fase que eu sorria com os lábios e chorava com o coração, tá passando... estou redescobrindo minha alegria de viver.

Bjs
Mah

sandrafofinha disse...

Oi amiga tudo bem?? Poderoso este texto maravilhoso!! Eu é que não faço convivio com ninguem porque nao tenho emprego e nunca vou poder trabalhar segundo o que me dizem. Sou depressiva,o que se ha-de fazer?? E tambem ao que parece os empregos são cada vez menos,funcionam por contratos e tal e tal, entao nas aldeias pior ainda. Só digo: as pessoas que os tem segurem-nos bem porque a vida está dificil para toda a gente e estamos cada vez pior. No entanto eu tambem sou feliz a minha maneira,pois tenho namorado e tenho familia ja para nao falar do mundo da internet. Beijos e abraços!! Feliz terça-feira!!

pensandoemfamilia disse...

Felicidade e alegria, gostei de como as colocou. Para mim interagir é fundamental e considero a forma de podermos aprender.
bjs

Cacá - José Cláudio disse...

Você é sempre genial, Tati. Esta capacidade analítica sem fincar-se apenas na lógica, equilibrando-a com os sentimentos é que lhe dá esta integridade admirável. Este seu belo texto me fez lembrar de uma palestra do Mario Serio Cortella. Já viu: (NÃO NASCEMOS PRONTOS).

Se não viu, eis o link:
http://www.youtube.com/watch?v=89BMhivvRFE

Acho que você vai gostar. Meu abraço e minha admiração. Paz e bem.

Macá disse...

Tati
Saudades de você, que bom que está aqui novamente.
É verdade, ser feliz não é a mesma coisa que estar/ficar alegre.
Você tem motivos sim para ser muito feliz; um marido como o Vi, um filhão desses como o Bê, pensa que é fácil?
Mas eu entendo quando você se questiona a respeito do seu talento x trabalho, então vou lhe passar a seguinte frase:
"Se não puder se destacar pelo talento, vença pelo esforço".
Não desanime não, vá em frente, logo, logo, suas aptidões vão encontrar um caminho, confie.
bjs

Beatriz disse...

Oi Tati
Que belo texto, adorei! Felicidade também se conquista, que bom! Como você disse, somos seres feitos para viver em sociedade. Nos adaptamos às mais diversas formas de vida. Difícil alguém ser feliz absolutamente sozinho. Me considero uma pessoa feliz e alegre, ainda que tenha momentos tristes às vezes. Faz parte, c'est la vie!!!
beijinhos
Bia
www.biaviagemambiental.blogspot.com

حنان مصطفى disse...

OIe!

TATI MINHA AMADA!
Que saudade eu estava de vir aqui, mais ando tão enrolada com minha lojinha que não sobra nem tempo para trakinar...
Lindo esse seu post!!!!
Beijokassss


✿Hanan Mustafa e as Florzinhas✿
✿ www.trakinandocommamae.blogspot.com ✿

Bordados e Retalhos disse...

Tati quanta saudade. Espero que vcs estejam bem. Estou num período sombrio, estranho, com um aperto no peito querendo acabar com meu riso fácil. Não sei se é porque está perto do meu aniversário e pra mim esse é sempre um tempo de avaliações e reflexões. Não se outras coisas que não se resolvem estão me deixando assim, Mas de qualquer forma tenho certeza que logo, logo estarei bem. Você já está trabalhando? Torço muito por vc. Bjs

Cristina Ramalho disse...

Oi Tati, acho que é bem isso mesmo, agora conseguir entender o que anda se passando comigo tbém, não sou infeliz, mas tem algo estranho... é isso, essa tal alegria sabe, não é mais a mesma, tento todos os dias modificiar mas nao sei... preciso refletir e saber aonde está pegando tudo isso... obrigada amiga pelo texto, maravilhoso, te entendi perfeitamente, bjo,

José Sousa disse...

Olá queria amiga Tati!
Adorei este seu post! Muito mesmo Viu?
Fico te esprando lá nos meus blog's! Me segue lá no "Transpondo Barreiras".

Um beijo bem grande e bom fim de semana.

Anabela Jardim disse...

Precisamos também aprender a aceitar as diferenças, principalment no modo de agir e pensar. Nem sempre quem fala o que não queremos ouvir, está nos desejando algum mal. Muitas vezes a verdade e a realidade que não queremos enxergar nos afasta das pessoas, sem darmos a elas uma chance de mostrar o quanto nos respeitam e nos querem bem.

Tatiana disse...

Nossa Tati,vim aqui porque tinha batido uma saudade de voce e me deparo com esse texto genial. Sobre um assunto tao dificil de colocar em palavras, menina...voce é demais mesmo, como é que voce conseguiu??
Se nao te acharam ainda é porque nao é a pessoa certa minha amiga!!!
Quantas tentativas Edison teve que fazer antes de descobrir a lampada eletrica? 1000...pois é,persistência é tudo na vida, e eu preciso escutar essa frase como mantra..rs!!
Que bom que voce esta melhor!!
Beijocas minha querida!!!

LILIANE disse...

Minha lindinha Tati....

eu sempre chego atrasadinha né...

Mas penso muitissimo em vocês.
Nos 3.

Os considero muito mesmo.
Você traz tanta reflexão com este texto...

Felicidade x Alegria.
Exatamente.
Alegria seria um sentimento e Felicidade um Estado?

Puxa... como compreendo isso.
Os ultimos 10 anos da minha vida fui feliz mas na maior parte do tempo triste por causa da depressao, ansiedade e toc.

E as pessoas confundem as coisas...
Acha que não podemos ficar tristes porque somos felizes.

Quanto ao trabalho domestico.
Tati... eu quase morri ficando em casa, so trabalhando como domestica.
Menina. cruzes credo...
Eu renuncio a isso.
Não gosto, faço porque nao tem jeito.
Acho que é da pessoa.
Por exemplo, algumas mulheres adoram ficar em casa, lustrando....
Sentem-se felizes assim.
Eu prefiro o mundo das ideias, da palavra, adoro conversar....

Que bom Tati que de tudo isso que vc viveu, voce pôde transformar em experiência de vida.

Olha... estou sempre por perto, em pensamento, em orações, viu.

Sinta-se muito querida aí.
beijos.

Taia Assunção disse...

Espero que as coisas estejam ainda melhores. Não é fácil ser gente grande. Já eu sou o oposto. Adoro ficar sozinha, o que causa certa estranheza nas pessoas. Estamos de endereço novo: http://www.epaetaiapelomundo.com.br Beijocas!

Inaie disse...

acho que todos nos ja passamos por isso, querida!!!
que bom que vc achou a saida.

Beijos

Élys disse...

Tati
Tive alguns probelmas nos blogs e não vi este seu texto que somente hoje estou lendo.
A vida tem inúmeras fase, todas elas servem para nos ensinar algo; sejam momentos bons ou momentos difíceis,
O que precisamos é ter sempre em mente que seja o que for devemos manter a tranquilidade, a fé e aguardar vivendo o presente da melhor maneira possível, sabendo que um dia seremos completamente felizes. A paciência será sempre de muita valia.
Beijos.

Meu blog, Meu Recanto Poético eu desativei.
Agora são estes dois.

www.sublime amanhecer.blogspot.com
e
www.nocaminhodaspalavras.blogspot.com (novo).

Evanir disse...

Chorar é como lavar a alma, pode ocorrer por vários motivos,
quando se é do coração é pura e verdadeira.
É bom quando algo ou alguém nos prende a atenção por segundos como a lua,
é um ser que encanta.
Gostei, o amor é: "Amor é carinho, é ternura, é ação...
É sentimento que vira canção."
Deus é a mais pura essência do amor,
cabe a nós aprender com Ele a amar de verdade.
Bjs, abençoado dia,,muita paz na sua vida.
A mensagem de hoje é de um amigo que deixou no meu blog.
Por ser linda e verdadeira
sem poder digitar por muito tempo.
Razão da minha cola só não sei é viver sem você.
Com carinho,Evanir.

Denise disse...

Ah, como é bom te ler...que falta vc faz...a gente murcha sem a tua energia...

Bjo de saudade!

Cristina Ramalho disse...

Saudades de vc por aqui!!! :)

Tathiana disse...

Não acho q sou intrinsicamente feliz. Q droga. Mas fazer o que, né? rs. Minha alegria e tristeza nem sempre dependem de fatores externos (ah, bipolaridade), embora algumas coisas tenham me deixado muito alegre e outras tenham me deixado muito triste. E tudo ao mesmo tempo.
A certeza de um talento tem q vir de vc mesma. Ainda não encontrei o meu, acho que nã vou encontrar... Isso me perturba, sim! Mas tenho q conviver comigo mesma né? Eis minha luta diária.
Sim, a convivência faz uma diferença enorme; pra meu azar, nas fases "down", me torno anti-social, o q só piora tudo.
Bom saber q vc tá no caminho certo.
bjs.

irene alves disse...

Um texto para ser lido e refletido.
Tudo depende do que se sente,
como analisamos e até do nosso
próprio estado de espírito.
Mas um bom post.
Bj.
Irene

♕Miss Cíntia Arruda Leite ღ disse...

Oi Tati que saudades do seu cantinho!
O teu post é um excelente convite a reflexão sobre felicidade!
Você conseguiu traduzir em palavras aquilo que tanto nos questionamos e sabe, eu me pus a pensar sobre tudo o que disse!
E quero que tenha certeza que tudo tem seu momento certo e com certeza, você está no caminho e isso já é motivo para sorrir!

beijossss

Luma Rosa disse...

Não acredito na estabilidade da felicidade e sim que ela está muito ligada ao nosso humor. Assim quem está infeliz também estará triste e terá um sorriso triste.
O ser humano é um ser sociável e a medida dessa sociabilidade se mede pela capacidade de envolvimento com o que acontece à sua volta. A nossa dependência emocional de outro ser é normal, o que não é normal é a solidão na forma depressiva. Penso que agora você promoveu a sua cura, agora é só fazer a manutenção!!
Beijus,

disse...

Saudades! Espero que tudo esteja em paz! Bjos

Cristina Ramalho disse...

OI Tati.... saudades de vc aqui minina...rs... Oh... Tô passando para te convidar conhecer o meu mais novo blog...
http://aminhapazvosdou.blogspot.com/
para momentos de reflexões, venha me visitar...
bjos,